TUTORIAIS PARA USAR PARTICIPAR DESTE BLOG

28 de maio de 2011

MITO OU ALEGORIA DA CAVERNA DE PLATÃO

CLIQUE NA IMAGEM PARA COMPREENDER O
TEXTO ATRAVÉS DA ILUSTRAÇÃO
MITO DA CAVERNA: Um grupo de pessoas vivem no fundo
de uma caverna e tudo o que vêem, é visto por uma fresta
de luz. Quando um deles ultrapassa os limites da caverna,
descobre o mundo maravilhoso que existe lá fora.


REFERÊNCIA HISTÓRICA:


Platão (427/347 a.C) foi um filósofo grego, discípulo de Sócrates, fundador da Academia e Mestres de Aristóteles.


MINHA COMPREENSÃO SOBRE ESTUDOS DE PLATÃO.
Platão, se destacou por dizer que em cada ser humano existem duas realidades: a intelegível e a sensível.
Intelegível por podermos discernir através das formas que nossos cinco sentidos podem perceber facilmente e a sensível é de algo latente no âmago do ser de cada indivíduo, onde pode ser percebido por uns e investigado e outros que permanecem adormecidos por uma ou mais vidas, até que ocorra o despertar interno individual de cada um e que pouco se pode aprender em religiões.
Segundo ele, uma alma esquece de tudo ao encarnar, pois seus sentidos físicos (visão, olfato, audição, tato e paladar) o fazem possuir a ilusão de que a eternidade possa se resumir a isso, o que nunca foi e será verdade.
Ele contribuiu com o Mundo através de suas teorias, pois na prática, cada um deve procurar compreender seus ensinamentos, numa busca solitária, ou seja, interna para abraçar o ápice do conhecimento Divino sem intermediários, caso contrário não ocorrerá.
Muitas religiões tentam de formas distorcidas religar o homem a Deus através de líderes espirituais ou espiritualistas mas o verdadeiro caminho não comporta o coletivo para chegar à plenitude, paz e felicidade, respondendo com satisfação às perguntas que todo indivíduo faz, ou seja:
- De onde venho?
- Pra onde vou?
- Para que estou aqui se a morte virá?
O Divino sempre esteve conectado ao homem e o homem desconhece essa conexão e é ai que entra a busca individual para conectar-se a Ele, através do despertar da consciência numa situação muito elevada (iluminação).

Você já deve ter visto aqui na internet algo sobre o MITO DA CAVERNA DE PLATÃO, certo?
O que é mito?
- Significado: É uma representação fantasiosa, espontaneamente delineada pelo mecanismo mental do homem, a fim de dar uma interpretação e uma explicação aos fenômenos da natureza e da vida.



MITO OU ALEGORIA DA CAVERNA DE PLATÃO

Imaginemos um muro bem alto separando o mundo externo e uma caverna. Na caverna existe uma fresta por onde passa um feixe de luz exterior. No interior da caverna permanecem seres humanos, que nasceram e cresceram ali.

Ficam de costas para a entrada, acorrentados, sem poder locomover-se, forçados a olhar somente a parede do fundo da caverna, onde são projetadas sombras de outros homens que, além do muro, mantêm acesa uma fogueira. Pelas paredes da caverna também ecoam os sons que vêm de fora, de modo que os prisioneiros, associando-os, com certa razão, às sombras, pensam ser eles as falas das mesmas. Desse modo, os prisioneiros julgam que essas sombras sejam a realidade.


Imagine que um dos prisioneiros consiga se libertar e, aos poucos, vá se movendo e avance na direção do muro e o escale, enfrentando com dificuldade os obstáculos que encontre e saia da caverna, descobrindo não apenas que as sombras eram feitas por homens como eles, e mais além todo o mundo e a natureza.


Caso ele decida voltar à caverna para revelar aos seus antigos companheiros a situação extremamente enganosa em que se encontram, correrá, segundo Platão, sérios riscos - desde o simples ser ignorado até, caso consigam, ser agarrado e morto por eles, que o tomaram por louco e inventor de mentiras.


Platão não buscava as verdadeiras essências na simplesmente Phýsis, como buscavam Demócrito e seus seguidores. Sob a influência de Sócrates, ele buscava a essência das coisas para além do mundo sensível. E o personagem da caverna, que acaso se liberte, como Sócrates correria o risco de ser morto por expressar seu pensamento e querer mostrar um mundo totalmente diferente. Transpondo para a nossa realidade, é como se você acreditasse, desde que nasceu, que o mundo é de determinado modo, e então vem alguém e diz que quase tudo aquilo é falso, é parcial, e tenta te mostrar novos conceitos, totalmente diferentes. Foi justamente por razões como essa que Sócrates foi morto pelos cidadãos de Atenas, inspirando Platão à escrita da Alegoria da Caverna pela qual Platão nos convida a imaginar que as coisas se passassem, na existência humana, comparavelmente à situação da caverna: ilusoriamente, com os homens acorrentados a falsas crenças, preconceitos, ideias enganosas e, por isso tudo, inertes em suas poucas possibilidades.

O video que mais ilustra o Mito da Caverna de Platão, embora esteja narrado em inglês (a história do video é a mesma que postei acima) é esse:



Bem pessoal, a ignorância está presente na vida dos que não sabem ou não querem enxergar a ilusão e nem desconfiam dela, pois se limitam, crendo em verdades e que podem ser mentiras, simplesmente porque quis crer ou foi influenciado por outros.



Outra referencia é um livro que já li e que aborda esse assunto propiciando uma visão mais ampla, na busca pela verdade, que sempre esteve adormecida dentro de cada um e que pode ser despertada aos que resolvem despertar através da busca.


MATRIX - Bem Vindo ao Deserto Real

Autor: William Irwin
Editora Madras



'Em Matrix - Bem-vindo ao Deserto do Real', acadêmicos experientes desvendam a Matrix. Os autores dos textos recorrem a Sócrates, Platão, Aristóteles, São Tomás de Aquino, Descartes, Kant, Nietzsche, Sartre, Sellars, entre outros filósofos para abordar questões como - O que posso saber? O que devo saber? O que é real? O que é a mente? O que é liberdade, e como a obtemos? A Inteligência Artificial é possível? As respostas a essas perguntas levam o leitor a explorar muitos dos principais ramos da filosofia, incluindo metafísica, epistemologia, ética, estética, filosofia da mente, filosofia da religião e filosofia política. 




Postar um comentário