TUTORIAIS PARA USAR PARTICIPAR DESTE BLOG

30 de junho de 2014

ORKUT SERÁ DESATIVADO NESTE ANO




É oficial: o Orkut será desativado em 30 de setembro deste ano, conforme anúncio feito pelo Google na manhã de hoje.. A partir desta segunda-feira, já não é mais possível abrir contas no serviço.

A empresa pede desculpas aos usuários pela atitude, mas afirma que ela é necessária porque o Orkut deixou de ser relevante, graças ao surgimento de plataformas melhores.

“Ao longo da última década, YouTube, Blogger e Google+ decolaram, com comunidades surgindo em todos os cantos do mundo”, comenta o diretor de engenharia do Google, Paulo Golgher. “O crescimento dessas comunidades ultrapassou o do Orkut. Por isso, decidimos dizer adeus ao Orkut e concentrar nossas energias e recursos para tornar essas outras plataformas sociais ainda mais incríveis para todos os usuários.”

Confira abaixo o texto, intitulado Adeus ao Orkut ”:

Dez anos atrás, o Google mergulhou pela primeira vez nas redes sociais por meio do Orkut, que nasceu como projeto experimental de um engenheiro que deu nome à rede. As comunidades do Orkut deram forma a conversas e conexões que até então não existiam, antes mesmo que as pessoas soubessem o que eram "redes sociais".

Ao longo da última década, YouTube, Blogger e Google+ decolaram, com comunidades surgindo em todos os cantos do mundo. O crescimento dessas comunidades ultrapassou o do Orkut. Por isso, decidimos dizer adeus ao Orkut e concentrar nossas energias e recursos para tornar essas outras plataformas sociais ainda mais incríveis para todos os usuários.

O Orkut será descontinuado no dia 30 de setembro de 2014. Até lá, não haverá impacto para os atuais usuários, para que a comunidade tenha tempo de lidar com a transição. Usuários podem exportar as informações do seu perfil, mensagens de comunidades e fotos usando o Google Takeout (disponível até setembro de 2016). A partir de hoje, novos usuários não podem criar novas contas no Orkut.

O Orkut pode estar indo embora, mas todas as incríveis comunidades criadas pelos usuários vão ficar. Um arquivo com todas as comunidades públicas ficará disponível online a partir de 30 de setembro de 2014. Se você não quiser que seu nome ou posts sejam incluídos no arquivo de comunidades, você pode remover o Orkut permanentemente da sua conta Google.

Foram 10 anos inesquecíveis. Pedimos desculpas para aqueles que ainda utilizam o Orkut regularmente. Esperamos que vocês encontrem outras comunidades online para alimentar novas conversas e construir ainda mais conexões, na próxima década e muito além.

Fonte: OD

MENTIRA NA REDE


O que está acontecendo com as mulheres que fazem tratamento em fotos nos seus perfis de Facebook?

Medo da rejeição masculina?
Baixa estima?
Concorrência feminina?
Futilidade?

Fora que a moda de fazer biquinhos e espremer a face como se estivesse com dor de barriga é o que mais se vê...

A "coisa" é tão séria, que segundo fontes fidedignas, os homens andam com medo de conhecer uma mulher pela internet:

Se tem rugas o photoshop resolve.
Te há mancha na pele photoshop resolve.
Se está velha photoshop resolve.
Se é gorda photoshop resolve.

Outro dia, vi a foto de um mulher que conheço pessoalmente e que é gorda e ela postou uma foto com cintura de pilão e esqueceu de deixar as mãos magras... Pasmem... Quase na casa dos sessenta anos...

É isso mesmo:
- As piores são as Vovós!

Acho que muitas mulheres se tornaram uma imagem virtual, porque não creio que diante de tantas mentiras que inventam em suas aparências, teriam a cara de pau de marcar um encontro com algum homem.

Isso me soa necessidade de tratamento psicopatológico!
Não é possível tanta carência afetiva fazer esse tamanho estrago!

Por: Val Qic

29 de junho de 2014

OBRIGADA PELA VISITA

Agradeço a todos que desde ontem se permaneceram na leitura dos artigos postados aqui.
É... Há como eu saber quantas pessoas estão aqui a cada minuto se eu desejar.
Não sei quem são mas, sei que passam por aqui.
E, eu as agradeço.
Porque eu vivia enfornada só em Facebook...
Tudo o que é demais enjoa... rsrsrs

Agora peguei esse blog pra postar de forma contínua!
Fui movida pelo sentimento de gratidão a todos vocês por estarem aqui.



Muito Obrigada!
Bom Domingo a todos!
Beijinho.
Val

INTOLERÂNCIA RELIGIOSA - Por Drº Drauzio Varella

Sou ateu e mereço o mesmo respeito que tenho pelos religiosos.
A humanidade inteira segue uma religião ou crê em algum ser ou fenômeno transcendental que dê sentido à existência. Os que não sentem necessidade de teorias para explicar a que viemos e para onde iremos são tão poucos que parecem extraterrestres.
Dono de um cérebro com capacidade de processamento de dados incomparável na escala animal, ao que tudo indica só o homem faz conjecturas sobre o destino depois da morte. A possibilidade de que a última batida do coração decrete o fim do espetáculo é aterradora. Do medo e do inconformismo gerado por ela, nasce a tendência a acreditar que somos eternos, caso único entre os seres vivos.
Todos os povos que deixaram registros manifestaram a crença de que sobreviveriam à decomposição de seus corpos. Para atender esse desejo, o imaginário humano criou uma infinidade de deuses e paraísos celestiais.
Jamais faltaram, entretanto, mulheres e homens avessos à interferências mágicas em assuntos terrenos. Perseguidos e assassinados no passado, para eles a vida eterna não faz sentido. Não se trata de opção ideológica: o ateu não acredita simplesmente porque não consegue. O mesmo mecanismo intelectual que leva alguém a crer leva outro a desacreditar.
Os religiosos que têm dificuldade para entender como alguém pode discordar de sua cosmovisão, devem pensar que eles também são ateus quando confrontados com crenças alheias.
Que sentido tem para um protestante a reverência que o hindu faz diante da estátua de uma vaca dourada? Ou a oração do muçulmano voltado para Meca? Ou o espírita que afirma ser a reencarnação de Alexandre, o Grande? Para hindus, muçulmanos e espíritas esse cristão não seria ateu?

Na realidade, a religião do próximo não passa de um amontoado de falsidades e superstições. Não é o que pensa o evangélico na encruzilhada, quando vê as velas e o galo preto? Ou o judeu quando encontra um católico ajoelhado aos pés da virgem imaculada que teria dado à luz ao filho do Senhor? Ou o politeísta, ao ouvir que não há milhares, mas um único Deus?

Quantas tragédias foram desencadeadas pela intolerância dos que não admitem princípios religiosos diferentes dos seus? Quantos acusados de hereges ou infiéis perderam a vida?
O ateu desperta a ira dos fanáticos, porque aceitá-lo como ser pensante obriga-os a questionar suas próprias convicções. Não é outra a razão que os fez apropriar-se indevidamente das melhores qualidades humanas e atribuir as demais às tentações do diabo. Generosidade, solidariedade, compaixão e amor ao próximo constituem reserva de mercado dos tementes a Deus, embora em nome d’Ele sejam cometidas as piores atrocidades.
Os pastores milagreiros da TV, que tomam dinheiro dos pobres, são tolerados porque o fazem em nome de Cristo. O menino que explode com a bomba no supermercado desperta admiração entre seus pares, porque obedeceria aos desígnios do Profeta. Fossem ateus seriam considerados mensageiros de satanás.
Ajudamos um estranho caído na rua, damos gorjetas em restaurantes nos quais nunca voltaremos e fazemos doações para crianças desconhecidas, não para agradar a Deus, mas porque cooperação mútua e altruísmo recíproco fazem parte do repertório comportamental não apenas do homem, mas de gorilas, hienas, leoas, formigas e muitos outros, como demonstraram os etologistas.
O fervor religioso é uma arma assustadora, sempre disposta a disparar contra os que pensam de modo diverso. Em vez de unir, ele divide a sociedade — quando não semeia o ódio que leva às perseguições e aos massacres.
Para o crente, os ateus são desprezíveis, desprovidos de princípios morais, materialistas, incapazes de um gesto de compaixão, preconceito que explica por que tantos fingem crer no que julgam absurdo.
Fui educado para respeitar as crenças de todos, por mais bizarras que a mim pareçam. Se a religião ajuda uma pessoa a enfrentar suas contradições existenciais, seja bem-vinda, desde que não a torne intolerante, autoritária ou violenta.
Quanto aos religiosos, leitor, não os considero iluminados nem crédulos, superiores ou inferiores, os anos me ensinaram a julgar os homens por suas ações, não pelas convicções que apregoam.

O MARKETING DA LOUCURA - DOCUMENTÁRIO

O Marketing da Loucura é o documentário definitivo sobre a indústria de drogas psiquiátricas.
Aqui está a verdadeira história da parceria altamente rentável entre a psiquiatria e as companhias farmacêuticas que criou um centro de lucros de 80 bilhões de dólares com psicofármacos.


Mas as aparências enganam. O quão válidos são os diagnósticos de psiquiatras quão seguros são seus medicamentos?
Cavando fundo por baixo do verniz corporativo, este documentário expõe a verdade por trás das tramas e esquemas de marketing e da farsa científica que escondem campanhas perigosas e muitas vezes mortais de vendas.

Neste filme você vai descobrir que ... Muitos dos efeitos colaterais dos medicamentos podem realmente fazer a sua "doença mental" piorar. Medicamentos psiquiátricos podem induzir à agressão e depressão. Alguns medicamentos psicotrópicos receitados à crianças são mais viciantes do que cocaína.
Diagnósticos psiquiátricos parecem ser baseados na ciência duvidosa. Dos 297 transtornos mentais contidos com o Manual de Diagnóstico e Estatística de Transtornos Mentais, nenhum pode ser objetivamente medido por testes patológicos.


Sintomas da doenças mentais no âmbito desse Manual são arbitrariamente atribuídos por um sistema de votação subjetiva por uma comissão de psiquiatrias. Estima-se que 100 milhões de pessoas no mundo usam drogas psicotrópicas.

O Marketing da Loucura expõe a insanidade real em nosso sistema "de saúde" psiquiátrica: um esquema orientado só para lucros, às custas do desrespeito aos direitos humanos.

Este filme mergulha em uma indústria corrompida pela ganância corporativa e oferece um aviso chocante dado por especialistas corajosos que valorizam a saúde pública mais que o dinheiro.

Título original:
The Marketing of Madness: The Truth About Psychotropic Drugs


OS ABSURDOS DA FLUORETAÇÃO DAS ÁGUAS - DOSSIÊ COMPLETO

Dossiê completo sobre a Fluoretação da água...Acorde!!!



A fluoretação das águas é um fenômeno tipicamente norte-americano. Inicia lá nos tempos em que o asbesto (nt.: amianto, entre nós) era a base de nossas tubulações, o chumbo era acrescentado à gasolina, os PCB’s (nt.: askarel, nome mais comum) enchiam nossos transformadores elétricos e o DDT era tido como “seguro e efetivo”. E de tal forma este veneno era “seguro” que os agentes sanitários nem tonteavam quando aplicavam em nossas crianças, sentadas em sala de aula ou nas mesas rústicas dos pic-nics escolares. E um por um estes químicos foram sendo, progressivamente, banidos. 
Só a fluoretação permanece incólume. 


Por mais de cinqüenta anos, os encarregados públicos governamentais, presunçosa e entusiasticamente, clamam de que a fluoretação é “segura e efetiva”. Entretanto, eles são tão superficiais que nem se sentem preparados para defender esta prática em quaisquer debates públicos abertos. Hoje são tantos os argumentos contra este método que este confronto poderia virar uma catástrofe. Simplificando as coisas, só isto já ajuda a separar ética de argumentos científicos.

Para aqueles que estão conectados com os fatos éticos, a questão da fluoretação torna-se muito simples de resolver. Ela é completamente não-ética. Pessoas serem forçadas a tomar uma determinada medicação sem terem tido a mínima chance de dar seu “consentimento consciente”, já esclarece tudo.

A má notícia para todos é que argumentos éticos não têm muita influência em Washington, DC, a não ser se os políticos se conscientizem que são milhões as pessoas que olham para eles. Já a boa nova é de que os argumentos éticos estão apoiados em sólidos argumentos do senso comum e de pesquisas científicas que demonstram convincentemente de que a fluoretação não é “segura e efetiva” e nem tampouco necessária. A seguir, sumariei os argumentos em diversas categorias:

A fluoretação é antiética porque:

- Viola o direito individual de só se ser medicado com consentimento consciente;

- A municipalidade não pode controlar a dose para cada paciente;

- A municipalidade não consegue acompanhar a resposta individual de cada munícipe;

- Ignora o fato de que algumas pessoas são mais vulneráveis do que outros aos efeitos tóxicos do flúor. De que algumas pessoas poderão estar sofrendo enquanto outras podem se beneficiar; e

- Viola o Código de Nuremberg com relação a experimentos feitos em humanos.

Como declarado pelo recente ganhador do Prêmio Nobel da Medicina (2000), Dr. Arvid Carlsson: “Estou efetivamente convencido de que a fluoretação da água, num futuro não muito distante, será remetida às páginas da história da medicina ... A fluoretação da água vai contra os princípios básicos da farmacoterapia que sai do receituário esteriotipado da medicação do tipo – uma cápsula três vezes ao dia – muito mais para uma terapia individualizada onde se coaduna dosagem e seleção do fármaco. Já a adição de drogas à água potável significa exatamente o contrário desta visão terapêutica individualizada.”

Já o Dr.Peter Mansfield, médico inglês e assessor do Conselho Superior do atual governo no processo de revisão do processo de fluoretação, afirma: “Nenhum médico em seu juízo perfeito, prescreverá a uma pessoa que jamais encontrou e que nem conhece seu histórico médico, uma substância que está destinada a criar condições de alterações orgânicas com a seguinte receita: ‘utilize na quantidade que quiser e será para o resto de sua vida tendo em vista de que algumas crianças sofrem cáries dentárias’. Isto é uma postura absurda.”

A fluoretação é desnecessária porque 

- As crianças podem ter dentes perfeitamente sadios sem serem expostas ao flúor;

- Seus promotores (Centers of Disease Control/CDC-USA-Centros de Controle de Doenças/EUA – 2001) admitem que os benéficos são pela aplicação tópica e não sistêmica. Assim, introduzir flúor nas pastas de dente, como está hoje disponível em todo o planeta, é uma ação muito mais racional de aplicar flúor a um órgão específico (dentes) enquanto minimiza a exposição ao restante do organismo;

- A maioria dos povos na Europa ocidental rejeitou a fluoretação da água e alcançou igual, ou talvez maior, sucesso do que os norte-americanos no manejo dos problemas dentários;

- Se quantidades de flúor fossem necessárias para se ter dentes fortes poder-se-ia esperar encontrá-lo no leite materno, no entanto seu nível é de 0,01 ppm, ou seja, 100 vezes menor do que o presente no mesmo volume de água fluoretada;

- As crianças que são de comunidade sem fluoretação já recebem doses assim chamadas “ótimas”, originárias de outras fontes (Heller et al, 1997). E, de fato, muitas são até superexpostas ao flúor.

A fluoretação é ineficaz porque 

- Os maiores pesquisadores dentais afirmam que os benefícios da fluoretação são pela aplicação tópica e não sistêmica (Fejerskov, 1981; Carlos, 1983; CDC, 1999, 2001; Locker, 1999; Featherstone, 2000);

Os pesquisadores dentais mais destacados afirmam também que a fluoretação é ineficaz para prevenir cáries e fissuras dentais e que representam 85% dos problemas de dentes apresentados por crianças (JADA, 1984; Gray, 1987; White, 1993; Pinkham, 1999);

- Uma série de pesquisas demonstrou que os problemas dentais caem rápido, se não vertiginosamente, em países industrializados sem fluoretação do que naqueles que são flouretados (Diesendorf, 1986; Colqhoun, 1994; World Health Organization, Online);

- A mais longa pesquisa conduzida nos USA, demonstrou que havia somente uma diminuta diferença nos problemas dentais entre crianças que viveram toda sua vida em comunidades com fluoretação comparadas com aquelas em que não havia. A diferença não teve significância clínica nem mostrou ser estatisticamente significativa (Brunelle & Carlos, 1990);

- A pior situação de problemas dentais nos USA ocorre nas periferias de suas grandes cidades, e a vasta maioria delas recebeu fluoretação durante décadas;

- Quando a fluoretação foi suspensa na Finlândia, na antiga Alemanha Oriental, Cuba e Canadá, os problemas dentais não cresceram, mas diminuíram (Maupome et al, 2001; Kunzel e Fischer, 1997; Kunzel et al, 2000; Seppa et al, 2000).

A fluoretação é insegura porque 

- Ele se acumula em nossos ossos e torna-os quebradiços e predispostos à fraturas. O peso das evidências, vindas de pesquisas com animais, estudos clínicos e epidemiológicos sobre este tema, é gigantesco. O tempo de vida de exposição ao flúor contribuirá para maiores níveis de fraturas ósseas na maturidade;

- Acumula-se em nossa glândula pineal, possivelmente diminuindo a produção de melatonina, importantíssimo hormônio regulador de nossas funções orgânicas;

- Agride o esmalte dos dentes (fluorose dental) das crianças, em altos percentuais. Entre 30 e 50% das crianças têm fluorose dental, em pelo menos dois dentes, em comunidades com ótimo serviço de fluoretação;

- Há uma séria preocupação, ainda não comprovada, de uma possível conexão entre a fluoretação e a osteosarcoma em homens jovens (Cohen, 1992) assim como com as epidemias atuais de atrite e hipotireoidismo;

- Em pesquisas com animais, o emprego de flúor a 01 ppm em água potável aumenta o direcionamento de alumínio para o interior do cérebro (Varner et al, 1998);

- Países que empregam de 03 ppm ou mais de flúor no fornecimento de água apresentam maiores níveis de infertilidade (Freni, 1994);

- Em estudos humanos, os agentes da fluoretação mais comumente utilizados nos USA, não só incrementam a presença do chumbo no sangue das crianças (Masters e Coplan, 1999, 2000) como também estão associados ao aumento de seu comportamento violento;

- A margem de segurança entre o assim chamado benefício terapêutico na redução dos problemas dentais e muitos destes últimos pontos é ainda não existente ou muito baixa tendo como parâmetro a precaução.

A fluoretação é injusta porque 

- O fornecimento atinge todas as residências, mas é a população mais pobre a que não tem meios para evitá-la, caso quisessem, porque não tem recursos para adquirir água de fontes minerais ou dispor de capital para instalar algum caro equipamento para removê-la;

- Os pobres são mais suscetíveis de sofrer desnutrição, reconhecidamente uma realidade que torna as crianças mais vulneráveis aos efeitos tóxicos do flúor (Massler e Schour, 1952; Marier e Rose, 1977; ATSDR, 1993; Teotia e al, 1998);

- Muito raramente, se é que isto ocorre, os governos se oferecem para apoiar aqueles que não dispõem de nenhum recurso financeiro para tratarem de fluoroses tão severas que exigiriam um dispendioso tratamento.

A fluoretação é ineficiente e com custo não efetivo porque 

- Somente uma pequena parte da água fluoretada alcança seus objetivos. A maior parcela termina sendo utilizada para limpeza de pratos e talheres, para a descarga dos vasos sanitários ou para irrigar gramados e jardins;

- Seria totalmente proibitivo, em termos de custos, a utilização do produto graduado farmaceuticamente, o fluoreto de sódio (a substância que foi empregado para testes), como agente para fluoretação no fornecimento público de água encanada. A fluoretação da água é artificialmente barata. Isto porque, e a maioria da população desconhece, o agente empregado para a fluoretação é um resíduo, impuro e perigoso, originário da indústria de fertilizantes ao produzir o adubo fosfato;

- Se foi considerado apropriado ingerirmos flúor (ainda que seu maior benefício seja de forma tópica e não sistêmica), uma forma mais segura e de custo efetivo seria providenciar água fluoretada, engarrafada e disponível, gratuitamente, nas prateleiras dos supermercados. Esta solução possibilitaria controlar tanto a qualidade como a dose. Além do mais, não poria “goela abaixo” daqueles que não querem consumi-la.

A fluoretação é promovida de forma anti-científica porque 

- Em 1950, o Serviço de Saúde Pública dos USA endossou entusiasticamente a fluoretação antes mesmo de que uma simples experimentação tivesse sido completada;

- Ainda que se tenha muito mais fontes de flúor hoje do que se dispunha em 1945, a assim chamada “ótima concentração” de 01 ppm permaneceu inalterada;

- O Serviço de Saúde Pública dos USA nunca se sentiu obrigado a monitorar os níveis de flúor em nossos ossos mesmo que soubesse, por anos, que 50% do que ingerimos a cada dia acumule-se aí;

- Os responsáveis públicos que promovem a fluoretação nunca se dispuseram a avaliar os níveis de fluorose dental que as comunidades passaram a ter depois deste processo ainda que eles saibam que este nível indica se a criança está tendo ou não uma superdose;

- Nenhuma agência pública dos USA contestou a pesquisa feita por Luke de que o flúor se acumula na glândula pineal, mesmo após a publicação do Resumo, em 1994, de sua tese de Ph.D em 1997. Apresentou seu trabalho em uma conferência internacional da Society for Fluoride Research, em 1998, tendo sua última publicação em 2001 na Caries Research;

- Os relatórios da CDC (Centers of Disease Control dos USA) de 1999 e 2001, advogam a fluoretação, estando ambos desatualizados em, pelo menos, seis anos em termos de pesquisas que a questionam quanto à preocupação em relação à saúde.

A fluoretação é indefensável em quaisquer debates públicos

Os proponentes da fluoretação das águas recusam-se a defender esta prática em debates abertos porque sabem que perderão. A vasta maioria dos responsáveis públicos pela saúde, em todos os USA e em outros países que promovem a fluoretação, baseia-se em informações de assessores sem fundamentação científica em vez de realizarem eles mesmos consultas nas publicações científicas mais atualizadas.

Estas informações, de segunda mão, produzem inconsistência em seus discursos quando são desfiados a defenderem suas posições. Suas opiniões estão mais baseadas na fé do que na razão.

Aqueles que estão com os cordéis destes marionetes da saúde pública nas mãos, sabem destes fatos. Cinicamente contam com o tempo e esperam que estes marionetes continuem tolas, recitando esta longa ladainha de “autoridades” que sustentam a fluoretação em vez de se engajarem nos fatos incontestáveis.

Como Brian Martin tornou claro em seu livro “Scientific Knowledge in Controversy: The Social Dynamics of the Fluoridation Debate” (1991) {O Conhecimento Científico em Controvérsia: A dinâmica social do debate sobre a fluoretação}, a promoção da fluoretação está fundada no exercício do poder político e não em análises racionais. A questão a responder então é : “porque o Serviço Público de Saúde escolhe exercer seu poder desta forma ?”.

As motivações, especialmente aquelas que são exercidas há muitas gerações de formadores de opinião, são sempre difíceis de determinar. Entretanto, intencionalmente ou não, a fluoretação serviu para nos desviar de uma série de fatos marcantes. Desconectou-nos:

- A omissão de um dos países mais ricos do mundo em prover cuidados dentais decentes para sua população pobre;

- A falência de 80% dos dentistas norte-americanos que atendem as crianças pelo sistema “Medicaid”;

- O fracasso da comunidade de saúde pública em combater o imenso super-consumo por nossas crianças, dos alimentos açucarados, vai a tal ponto de fazermos vista grossa à indiscriminada invasão de máquinas com refrigerantes nos prédios de nossas escolas. Esta atitude parece estar mais associada à nossa crença como se o flúor interrompe todos problemas dentais. Porque então se estressar controlando esta farta ingestão de açúcares;

- A omissão de se tratar adequadamente os efeitos ecológicos e de saúde pública gerados pela poluição do flúor originário da grande indústria. Apesar dos danos já causados, e que permanece causando, por esta poluição, poucos são os ambientalistas que consideram o flúor como efetivamente “poluente”;

- A omissão da U.S.EPA (nt.: Environmental Protection Agency-Agência de Proteção Ambiental dos USA) em desenvolver um Nível Máximo de Contaminação para o flúor na água e que pudesse ser cientificamente aceito;

- A verdade é que mais e mais compostos organofluorados estão sendo introduzidos no mercado na forma de plásticos, fármacos e agrotóxicos. Apesar do fato de que alguns destes compostos ofereçam mais ameaças tanto à nossa saúde como ao ambiente do que seus parentes, os clorados e os compostos de bromo, as organizações e agências governamentais que deveriam agir para limitar a disseminação global destes outros produtos halogenados, parecem estar completamente cegas para os perigos trazidos por estes compostos organofluorados. Vale a ressalva de que são muitíssimo mais persistentes e lipossolúveis do que os outros comparsas, acumulando-se tanto na cadeia alimentar como em nossos tecidos adiposos.

Assim se a fluoretação não é efetiva e nem segura, sua continuação serve como um véu para muitos interesses que sugam seus lucros em cima da desinformação do público a respeito do flúor.

Infelizmente, as instituições públicas têm colocado muita de sua credibilidade na defesa da fluoretação. Mas está se tornando muito difícil a seus prepostos falarem, honesta e abertamente, sobre este assunto. Como foi com a amálgama de mercúrio, é muito complicado para instituições como a American Dental Association (nt.: Associação Norte-americana de Odontologia) reconhecer os riscos sobre a saúde já que isto poderá dar margens a ações de responsabilidade tão logo declarem algo a respeito.

Mesmo que ainda seja muito difícil, não se pode esquecer o que é essencial, a proteção de milhões de pessoas a esta agressão desnecessária. O governo norte-americano deve começar a agir e sair deste anacrônico, e crescentemente absurdo, status quo em que se transformou este assunto. Mas existem precedentes. Estão prontos a fazer o mesmo com a terapia de reposição hormonal.

Mas arrancar-se qualquer ação honesta do governo dos USA nesta área, será bem difícil. Efetivar mudanças é como fazer uma ranhura numa madeira. A ciência pode fazer isto. No entanto nós precisamos é do peso de uma massa crítica da população para podermos exigir isto para o nosso dia-a-dia. Aí poder-se-á exigir esforços consistentes no sentido de se educar a população norte-americana para então contar com seu auxílio para exercermos pressões sobre nossos representantes políticos.

Finalmente o que necessitamos é uma moratória quanto à utilização do flúor na água (o que significaria somente se fechar a torneira da fluoretação, por alguns meses) até haver um grande encontro público para se ouvir os pontos chaves expressados pelo testemunho de cientistas de ambos os lados. Com a questão da educação estamos numa tal condição, a melhor do que qualquer outra anterior. A maioria dos estudos fundamentais estão completamente disponíveis na Internet (www.slweb.org/bibliografy.html) assim como há entrevistas gravadas em vídeo cassete com muitos dos cientistas e protagonistas cujos trabalhos são muitíssimo importantes para a atual reavaliação desta questão (ver vídeos em www.fluoridealert.org).

Com estas novas informações, mais e mais comunidades estão rejeitando novas propostas de fluoretação a nível local. A nível nacional, existem alguns passos prenhes de esperança, como a contestação da EPA Headquarters Union (nt.: União do Conselho Superior da EPA) posicionando-se contra a fluoretação e o Sierra Club peticionando uma nova reavaliação desta matéria. Entretanto, ainda há necessidade de colossal ação de outros grupos nacionais envolvendo-se no sentido de tornar este um assunto que, desesperadamente, precisa ser de interesse nacional.

Espero que os leitores deste site (RedFlagsWeekly.com de 28.11.2002) que discordem do que disse aqui, manifestem-se, refutando com seus argumentos. Se não puderem, espero então que ultrapassem este barreira e cooperem para que se finalize políticas, das mais tolas, que se impingiu ao cidadão norte-americano. Este é o tempo de parar com esta loucura de fluoretar a água, sem mais delongas. Não será nada fácil. A fluoretação representa um poderosíssimo poder de um “sistema de crença” acalentado por grandes interesses além de ser resguardo por poderes e influências entrincheirados no âmago do governo.

A FARSA DO FLÚOR



A Farsa do Flúor, uma entrevista com o autor, Christopher Bryson, do livro com o mesmo nome do filme, demonstra que o fluoreto usado em nossa água é uma substância altamente tóxica e que até nas concentrações usadas na água, produz doenças físicas, limita nossa inteligência e reduz nosso nível de energia. Por isso, o uso de água fluoretada está proibido em todos os países da Europa com exceção da Irlanda e existe um forte movimento Internacional para educar a população e eliminar o fluoreto das nossas torneiras.



O autor resume a história do uso da água fluoretada e como isso foi o projeto da indústria norte-americana junto com o governo dos EUA para evitar ou ganhar processos na justiça das pessoas ou das famílias das pessoas que trabalhavam em ou moravam ao redor das suas fábricas. A idéia era, desde o inicio, enganar o público norte-americano, através de pesquisas com resultados distorcidos e propaganda manipuladora, para fazê-lo pensar que o fluoreto é uma espécie de nutriente essencial a prevenir caries e que conseqüentemente o uso do flúor e seus compostos é seguro na indústria e nas fábricas que produzem armas nucleares.

O filme ilustra os casos de alguns cientistas cujas carreiras foram estragadas por ousar apresentar pesquisas sérias questionando o uso de água fluoretada. É um chamado, não somente para mobilizarmos para tirar o fluoreto da nossa água, mas para entender a estrutura da dominação da ciência e da mídia típica, que não permitem a disseminação dessa informação sobre o uso de flúor. 

 Assista a seguir este documentário revelador:

Ficha Técnica:
Título Original: The Fluoride Deception
Gênero: Documentário
País: EUA
Ano: 2004
Duração: 29 min.
Produção: Fluoride Action Network







NÃO CURE DOENÇAS - EVITE ADOECER

Troque os remédios por nutrientes...Acorde!!!


Sábios princípios de Hipócrates, pai da Medicina, que há 2400 anos atrás já dizia: 
"Faça do alimento o seu remédio".

Infelizmente nossa comida "NÃO É COMIDA"!


Os alimentos que nos é fornecido, são alimentos com uma quantidade mínima ou até nula de nutrientes. E o que acontece se ingerirmos uma comida sem nutrientes? Você estará muito mais sujeito a pegar doenças, seja uma simples gripe até o câncer.

Seria proposital as mudanças genéticas da nossa comida pra não ingerirmos nutrientes e consequentemente estarmos mais sujeitos a adoecer? 

Seria proposital colocar substâncias na água (flúor, cloro, lítio...etc) que enfraquecem nosso sistema imunológico? 

Porque os governos não fazem campanha sobre o risco que corremos ao comer produtos industrializados? Já que os governos estão ai pro "nosso bem (???)".

Pesquise sobre as grandes indústrias de alimentos e as grandes indústrias de remédios e vejam o quanto estão interligadas. 

Comer corretamente é uma das formas de ter uma vida melhor e, consequentemente, sem doenças.

Quem nunca ouviu a expressão: “- Você é o que você come!” 

Mais do que qualquer suplemento ou vitamina, a alimentação é a grande aliada da boa saúde e a melhor forma de obter nutrientes para evitar e combater doenças. 

Alimentos que curam:

Além de fornecer energia e nutrientes para o organismo, vários alimentos têm propriedades terapêuticas valiosas e devem ser incluídos nas dietas.



Abacate - Facilita a digestão e o seu consumo constante e prolongado combate o reumatismo e o ácido úrico. É útil no combate aos cálculos da vesícula biliar e às úlceras gastroduodenais.

Abacaxi - Tem ação depurativa e diurética. Usado fora das refeições diminui o excesso de acidez no estômago. Combate a qualquer tipo de pedra nos rins, usado contra o catarro nos brônquios e contra a obesidade..

Abóbora - Atua controlando o nível de glicose no diabetes, o colesterol e a gordura no sangue. Ajuda na evacuação e as sementes são eficazes contra a solitária.

Acelga - Crua é útil contra a anemia e combate a asma, o diabetes, a diarreia e o acúmulo de bile na vesícula biliar. Cozida, serve para a cistite aguda. Em cataplasma quente sobre a pele é analgésica, anti-inflamatória nos casos de contusões; em abscessos e queimaduras agudas aplicar fria.

Agrião - Cru tem efeito tônico nos brônquios e pulmões, além de ser útil contra faringite e processos infecciosos da boca e garganta. Cozido tem ação estomacal tônica e depurativa. O sumo do agrião é útil contra a anemia, o escorbuto, a tuberculose, a pneumonia e as bronquites em geral, inclusive a dos fumantes; também é indicado para a febre persistente e a icterícia.

Alcachofra - Estimulante do fígado e dos rins, é depurativa do sangue e combate o reumatismo, o ácido úrico e a arteriosclerose.

Alface - Tem efeito diurético, calmante e depurativo. Abre o apetite e estimula as funções digestivas e excretoras.

Alho - Comido como alimento, tem ação depurativa, diurética e digestiva. É um antibiótico natural, vermífugo e anti-coagulante. Previne as tromboses, purifica as mucosas e evita a formação de catarro. Também tem efeito contra o excesso de ácido úrico, o reumatismo, a pressão alta e a arteriosclerose.

Ameixa fresca - Comida em abundância, é útil no resfriado, nas afecções dos brônquios e na asma.

Amendoim - Tem ação tônica e afrodisíaca.

Amora - Tem ação diurética, laxativa e expectorante. Também é emoliente e adstringente.

Azeitona - A azeitona preta tem efeito laxante, e a verde é adstringente. Ambas têm leve efeito contra a mucosidade excessiva dos pulmões e brônquios. O azeite de oliva é laxativo e útil em queimaduras.

Banana - Útil para regular os intestinos nos casos de diarreia.

Berinjela - O suco fresco é útil como diurético e desobstrui as vias biliares.

Beterraba - O sumo cru é antianêmico e fortificante. Por ser muito rica em magnésio, é útil em casos de infecções crônicas. Contem uma substância chamada betaína, que possui ação eficaz contra tumores. Tem boa aplicação no câncer.

Brócolos - Indicados contra infecções localizadas; laxativos, emolientes, tônicos e ajudam a combater a anemia.

Caju - Devido a sua ação adstringente, combate as diarreias crônicas e agudas. É tonificante e tem ação eficaz no diabetes e em todos os tipos de catarro. É tido também como afrodisíaco.

Caqui - Combate a anemia, falta de vitaminas A e B, obesidade, diabetes e gota. A polpa tem efeito laxante.

Cebola - É considerada um poderoso remédio, cuja ação depurativa permite ao organismo manter-se forte e saudável. Seu uso constante, de preferência crua, na salada, combate a anemia, tosse, doenças catarrais das vias respiratórias, problemas do estômago, fígado e rins, além de possuir ação vermífuga e anti-séptica. Tem a fama de conferir longevidade e força física.

Cenoura - Crua, é útil no combate a problemas dos olhos, pele, cabelos, ossos, fígados e bexiga.

Coco - A polpa do coco verde ou seco tem ação vermífuga e anti-diarreica. A água do coco verde é reguladora dos intestinos, vermífuga e é usada para tratar e prevenir a desidratação.

Confrei - Tem excelentes efeitos medicinais como chá e como alimento. Em muitos países orientais é usado habitualmente como salada. Combate a asma, a alegria, icterícia, prisão de ventre, a úlcera gástrica e duodenal, o excesso de ácido do estômago, a anemia, várias doenças de pele e desnutrição. A melhor forma de uso é como salada crua.

Couve - O consumo combate a anemia, o escorbuto e o bócio (papeira) devido a seu elevado teor de ferro, vitamina C e iodo. Combate às úlceras gástricas e duodenais por sua ação cicatrizante de contato e, também, as úlceras externas (neste caso, aplicando o sumo ou as folhas batidas). Tem efeito sobre o mau funcionamento da vesícula biliar, cálculos renais e hemorroidas. De preferência deve-se usar o sumo, ou comê-la crua em salada. O mesmo sumo aplicado nos cabelos, diariamente, em fricções vigorosas, é útil no combate à queda do cabelo e seborreia.

Damasco - Fortalece os dentes, as unhas e os cabelos. Também é útil na anemia por falta de ferro e na cirrose do fígado.

Dente-de-leão - Tem ação semelhante ao confrei. No Brasil, apenas em algumas regiões e em certos grupos indígenas é usado como alimento. No entanto, goza de boa fama quanto ao seu uso medicinal como chá. Tem ação principalmente tônica e é útil no combate à anemia e às fraquezas em geral.

Ervilha - Bom auxiliar no tratamento do diabetes e nos problemas digestivos ligados ao pâncreas.

Espinafre - Tem efeito regulador sobre o aparelho digestivo e evita a prisão de ventre. Ajuda a combater a obesidade e é muito útil contra a anemia.

Figo - Cozido com leite é um bom remédio para úlceras gástricas, inflamações da boca e da laringe, tosse e bronquite. É um bom laxante, e comido cru, em jejum, tem ação vermífuga.

Goiaba - Como alimento, é indicada para tratar as úlceras duodenais e as diarreias.

Laranja - Sua ação é depurativa. Limpa o organismo e o desintoxica, favorecendo a digestão de alimentos gordurosos. Muito usada na forma de suco, a laranja combate gengivite, reumatismo, ácido úrico, gota, diabetes, obesidade, pressão alta, fraqueza orgânica e febre, além de ser cicatrizante.

Lentilha - É rica em cálcio e combate a anemia. Recomendada para as gestantes.

Limão - Tem efeito semelhante ao da laranja, porém marcadamente mais acentuado enquanto depurativo. É um excelente recurso em medicina natural. O uso de certa quantidade diária do sumo puro do limão em jejum ou quantidades crescentes tem ação eficaz no tratamento de doenças graves, nas quais, por falta de energia, o paciente não tem mais forças para sair do leito. É adstringente, anti-séptico, anti-inflamatório, sudorífero e antifebril. Combate arteriosclerose, diabetes, pressão alta, obesidade, reumatismo em geral, catarro respiratório, asma, bronquite, amidalites, rinites, febres e inflamações dos olhos.

Maçã - É um alimento tônico. Ajuda a digestão, combate a anemia e a formação de úlceras do estômago. Combate a diarreia, principalmente infantil, devido à sua ação adstringente. O sumo da maçã tem ação antifebril.

Mamão - É um poderoso regulador das funções intestinais. A presença da papaína garante a boa digestão das proteínas e das gorduras. O uso constante combate a arteriosclerose e evita a formação de pedras na vesícula. Deve-se, no entanto, evitar o mamão papaia, e usar o mamão amarelo ou o mamão Bahia, vermelho e grande. As sementes de mamão têm ação vermífuga.

Mandioca - A farinha tem efeito sobre a diarreia e o cataplasma quente aplicado sobre abscessos ajuda a dissolvê-los. É contra-indicada na prisão de ventre, gases e nos casos de bócio.

Melancia - Trata-se de uma grande diurético quando usado como alimento ou na forma de chá, feito com a polpa. É útil nos casos de doenças da próstata, gonorreia e sífilis e faz bem para o fígado e intestinos. Por ser indigesta, deve-se evitar engolir a sobra final da mastigação da polpa. O sumo coado tem ação mais eficaz.

Manga - Tem ação diurética e é estimulante da produção de leite. Também é útil contra bronquites, tosses e catarros. A amêndoa do caroço tem ação vermífuga.

Melão - É diurético e ajuda a eliminar excesso de líquidos orgânicos. Ajuda a regular os hormônios e, serve como tratamento para desequilíbrios menstruais, tendência ao aborto e diversos problemas ligados aos distúrbios hormonais. Possui também ação depurativa e estimulante e é empregado no combate a problemas do fígado, rins e na eliminação de cálculos renais.

Milho - Tem ação tônica e fortificante.

Morango - É um bom mineralizante, empregado em casos de convalescenças, doenças degenerativas, reumatismo, cálculos renais, bronquite, pressão alta, anemia, ácido úrico e colesterol. É também diurético e vermífugo.

Nabo comprido - Muito usado pelos povos orientais, é considerado um alimento que mantém a saúde e o vigor do corpo, conferindo longevidade. Sua ação medicinal é basicamente diurética, tônica e mineralizante. É útil no tratamento da obesidade, problemas dos olhos, colesterol, reumatismo, pressão alta, pressão baixa e anemia. O chá e o banho de assento, das folhas, são excelentes para os problemas genitais, como corrimentos vaginais, cólicas menstruais, menstruação irregular, fibromas uterinos, cistos de ovários, inflamações da vagina, útero, trompas, ovários, prostatismo, tumores da próstata, hemorroidas, pólipos, fistulas e a maioria das doenças do períneo.

Nozes - É um alimento tônico e fortificante, útil no reumatismo e no excesso de ácido úrico.

Pepino - É diurético e tonificante do fígado e dos rins. Fortalece os cabelos, unhas e pele, e combate à inflamação dos olhos. É um bom estimulante do apetite quando usado antes das refeições.

Pera - É indicada como alimento para pessoas convalescentes. Possui ação depurativa e diurética moderada.

Pêssego - É um bom purificante dos rins e da bexiga. É também estimulante, laxativo e diurético.

Quiabo - Por ser rico em ferro, é indicado para gestantes. Seu uso é recomendado nas inflamações intestinais e problemas dos rins e bexiga.

Rabanete - É diurético e ajuda a normalizar as funções dos rins e a digestão, além de purificar o sangue e eliminar o catarro das vias respiratórias.

Repolho - Empregado nas doenças neurológicas e nevralgias. Muito útil contra as náuseas da gravidez e a distrofia muscular. O sumo fresco aplicado nos cabelos é bom para eliminar a seborreia.

Romã - É uma fruta com efeito adstringentes. Age também como diurético e depurativo, e é indicada nos casos de diarreia.

Salsa - Devido à grande quantidade de magnésio, é muito eficaz para todos os casos de infecções e inflamações causadas por bactérias, vírus ou fungos. Também tem ação diurética, depurativa e tônica. Ajuda a tratar problemas do fígado, disfunções uterinas e impotência. O sumo fresco tem ação cicatrizante e é famoso seu emprego nas hemorragias nasais.

Uva - A uva comum tem fama de ser diurética e purificante do sangue, ajudando a eliminar o excesso de toxinas, ácido úrico, colesterol, etc. É um bom alcalinizante do sangue, ajudando a restabelecer o equilíbrio do pH sanguíneo. Também é útil no combate à acidez estomacal.

Vagem - É um alimento tonificante, usado nas convalescenças e nos estados de fraqueza.

28 de junho de 2014

SANTA INQUISIÇÃO OU TRIBUNAL DO SANTO OFÍCIO?

Inquisição (do latim Inquisitio Haereticæ Pravitatis Sanctum Officium) ou Tribunal da Inquisição, Santa Inquisição ou Tribunal do Santo Ofício (dentre outros nomes) é um termo que deriva do ato judicial de inquirir, o que se traduz e significa perguntar, averiguar, pesquisar, interrogar etc. A Inquisição foi um tribunal pseudo cristão utilizado para averiguar heresia, feitiçaria, bigamia, sodomia e apostasia.

Clique na imagem para ampliar

O herege (a palavra "herege" significa aquele que escolhe, que professa doutrina contrária ao que foi definido pela Igreja como sendo matéria de fé) era entregue às autoridades do Estado (horrenda essa mistura entre ESTADO e RELIGIÃO, pois sempre existem mal intencionados) que o puniriam e os castigos variavam desde confisco de bens, perda de liberdade, pena de morte.

Também chamado "Tribunal do Santo Ofício", criado para combater as heresias cometidas pelos cristãos confessos, e por muçulmanos vindos do Oriente. Foi iniciada em Verona sob Papa Lúcio III no ano de 1184, inspirado em escritos de Santo Agostinho, fortaleceu-se sob o Papa Inocêncio III (1198-1216) e o Concílio de Latrão (1215), de 1231 a 1234. Gregório IX multiplicou pela Europa os Tribunais de Inquisição, presidido por inquisidores permanentes.

Leia este artigo na integra com imagens no link abaixo! 


A FARSA DO SOL

Prescrição de 10.000 UIs de Vitamina D Traria para a Indústria Farmacêutica uma Perda de Trilhões de Dólares



Nunca levamos a sério o termo “vitaminada”, usado durante muito tempo para definir uma pessoa forte, atraente, saudável. Pois deveríamos levar, principalmente se o sujeito em questão for alguém em dia com a vitamina D, uma substância que controla 229 genes de todas as células humanas. Mas o valor desse hormônio, considerado hoje em dia um dos mais importantes para a saúde humana, só foi descoberto em 2010. Sem vitamina D, a pessoa está sujeita a desenvolver uma lista enorme de doenças neurodegenerativas e autoimunitárias, como Parkinson, Alzheimer, esclerose múltipla, lupus, miastenia gravis, artrite reumatoide, psoríase e diabetes do tipo 1.

O neurologista Cícero Galli Coimbra, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), remete às 32 mil publicações que relacionam a deficiência de vitamina D ao alto risco de câncer; das mais de 20 mil que associam o nível baixo ao diabetes; e das 17 mil que associam o mesmo déficit à hipertensão. “Mulheres com baixos níveis de vitamina D dificilmente engravidam, e quando engravidam, abortam no primeiro trimestre da gestação. Caso levem a gestação adiante, o bebê pode nascer com malformações congênitas.”

Produzido há pelo menos 750 milhões de anos, esse hormônio pode ser sintetizado não só pelos seres humanos, mas também por diversos organismos, inclusive os do fitoplâncton e zooplâncton, e outros animais que se expõem à luz. A vitamina D é mensurada em International Units (IU), o que corresponde na língua portuguesa a Unidades Internacionais. A exposição ao sol de partes do corpo, como braços e pernas, por 20 minutos, garante a produção de aproximadamente 10 mil UI. É quase impossível obter a mesma quantidade por meio da alimentação, pois a produção de 10 mil UI exigiria cerca de 100 copos de leite por dia.

Segundo Coimbra, a vitamina D não pode ser considerada pelo fator nutricional porque a ciência tem demonstrado que a pele humana, exposta ao sol, se transforma em uma glândula endócrina, produtora do hormônio. A ideia de desenvolver um quadro de hipervitaminose ou envenenamento por vitamina D, que pode desencadear sintomas tóxicos, é pouco provável. Conforme o neurologista, existe desinformação generalizada não só entre a população geral, mas também na classe médica.

Confinamento

“Durante centenas de milhares de anos, o homem tem vivido com o sol; nossos ancestrais viveram mais frequentemente ao ar livre do que em ambientes fechados. Desenvolvemos dependência pela luz do sol para a saúde e a vida, de modo que a ideia de que a luz solar é perigosa não faz sentido. Como poderíamos ter evoluído e sobrevivido como espécie, se fôssemos tão vulneráveis a algo a que o ser humano tem sido exposto constantemente ao longo de toda a sua existência?”, indaga Frank Lipman, clínico geral e especialista reconhecido internacionalmente nos campos da Medicina Integrativa e Funcional.

Na mesma linha, Coimbra aponta o estilo de vida contemporâneo como o principal vilão da deficiência de vitamina D no organismo. Na sua opinião, as pessoas passam a frequentar os shopping centers em vez de ir aos parques. Saem de seus apartamentos, tomam o elevador que já dá acesso à garagem, entram em seus automóveis e chegam ao seu destino. Outra vez, garagem, elevador, local de trabalho. Ele diz que isso nunca aconteceu na história da humanidade. Hoje, uma pessoa é capaz de passar um ano inteiro de sua vida, sem expor uma nesga de sua pele ao sol. Vive de um ambiente confinado para outro.

Nesse ritmo, no período do inverno, 77% da população paulistana está com nível baixo de vitamina D, o que melhora no verão, quando o índice cai para 39%. Enquanto isso, na Europa, a cada ano há 6% a mais de crianças com diabetes infanto-juvenil. Seduzidas pelas diversões eletrônicas, elas abandonam cada vez mais as atividades ao ar livre. “Os pais ficam satisfeitos porque elas estão longe da violência urbana, mas não percebem que os filhos estão se transformando em diabéticos pelo resto da vida”, reforça o neurologista.
Em contrapartida, as pessoas idosas também fazem parte de um dos grupos mais suscetíveis à deficiência desse hormônio. Por exemplo, a aposentadoria reduz suas saídas à rua, isso resulta em uma menor exposição solar. A pele dos idosos tem apenas 25% da capacidade de produzir vitamina D em relação a uma pessoa jovem de 20 anos. Ou seja, eles precisam de quatro vezes mais de exposição solar para produzir a mesma quantidade de vitamina D, conforme Coimbra.

Outro agravante, as pessoas bloqueiam a radiação ultravioleta B, que auxilia na produção da “vitamina”, quando se lambuzam com protetores solares. Para se ter ideia, o fator de proteção solar número 8 diminui em 90% a produção de vitamina D. Já o fator 15 diminui em 99%, ou seja, praticamente zera a produção de vitamina D.

Horário ideal

No reino animal, lagartos adoram tomar sol. E por uma razão muito simples, eles não são capazes de aquecer seus corpos sozinhos, sem a ajuda do ambiente externo. Enquanto isso, os seres humanos, para manter a temperatura ou para se aquecer, necessitam de agasalhos. A conclusão é: o mesmo Sol que aquece esses animais nos ajuda a produzir a vitamina D. Portanto, se ele nos traz esse benefício, não há motivo para temer os raios solares!
Segundo o neurologista, o horário ideal para tomar sol, o momento em que a radiação ultravioleta é mais positiva para produzir vitamina D, é aquele quando a sombra tem a mesma extensão que a estatura da pessoa. Atualmente, isso ocorre pela manhã entre 8h30 e 9 horas. O ideal é aguardar meia hora para passar o protetor solar, porque após esse tempo, com ou sem protetor, a criança e o adulto não vão mais produzir vitamina D.

O mesmo vale para quem optar pela exposição vespertina. No final da tarde, quando a sombra tiver a mesma extensão da estatura da pessoa, os raios solares voltam a ter a mesma qualidade benéfica para produzir vitamina D. “Ao meio-dia, o sol está a pino e a sombra não existe. O indivíduo não produz vitamina D, só câncer de pele”, alerta Coimbra.

Influência

Nos dias atuais, a Internet é um campo fértil para se manter informado sobre este assunto, embora não esteja à disposição de todos. Há centenas de artigos a respeito, mas, infelizmente, muitos deles estão disponíveis somente em inglês. É o caso do texto do neuropsiquiatra John Cannell (http://goo.gl/LlQOK). Ele acusa pesquisadores da indústria farmacêutica norte-americana de estarem tentando alterar a molécula da vitamina D, para transformá-la em uma substância patenteável, ou seja, em remédio. A influência deles é tamanha, a ponto de se manterem unidos em comitês que “aconselham” o governo dos Estados Unidos a estabelecer a dose recomendável, entre 200 e no máximo 400 unidades por dia, bem aquém do necessário.

Além de prescrever doses mínimas, a maioria dos médicos sequer solicita dosagem da vitamina D no sangue. Coimbra ressalta que muitos especialistas, que acompanham pacientes com osteoporose e recomendam essa quantidade de suplementação, ficariam surpresos ao constatar o quão baixo é o nível dessa substância no sangue.

Cannell denuncia exatamente isso. “Só deixando a pele dos braços e das pernas expostas, uma pessoa de pele clara e jovem produz 10 mil unidades de vitamina D. Essa quantidade é 50 vezes maior do que aquela colocada à disposição do público como suplemento de vitamina D, com o título da dose recomendada. Caso fosse prescrito metade disso (5 mil) para toda a população adulta, haveria redução em 40% da ocorrência de novos casos de câncer. Isso representaria para a indústria farmacêutica uma perda de 40% de uma receita de trilhões de dólares”, completa.

Fontes: 

VÍDEO DE ABERTURA DO MEU YOUTUBE

Fiz essa abertura após ter aprendido a lhe dar com edição de vídeos e imagens.
Acho que de todos os vídeos que fiz, esse foi o melhor!
Eu amei!

Aproveite e inscreva-se no meu Canal Youtube.
No final do vídeo, há um link que direcionará para a inscrição.


25 de junho de 2014

VIAJAR

Preciso de retiro físico, para que a paz inspire minha mente e ela se aquiete, se delete deste Mundo.
Sempre encontro isso nas Cidades das Minas Gerais.
O estresse me esgotou...
Preciso sumir por alguns dias, poucos já bastam.
Me recomponho rápido.

Preciso expelir essa doença rápido!

O TEMPO E AS LEMBRANÇAS


Ah! Tudo que é lembrado são lamentações íntimas, egoístas, individuais, pela impotência de não recordar com uma visão ampla de tudo que aconteceu, pela ausência de um "espírito visionário", fraternal e que acolhesse a todos, porque roubaram essa possibilidade de todos e é isso que querem, que durmam, que lembrem-se só do que os fazem sentir-se "donos" como se já tivesse existido um destino individual e diferente para cada um, com uma falsa sensação de que pôde controla-lo.. Mas, se lembrares do que acumulou em apenas um só dia, no que deixou para trás, perceberás que construiu muros e que os vizinhos passaram pelas mesmas situações.

Eles, nos roubam o nascer do Sol, deixando de aquecer o que está pálido, gélido, sem cor, para acender seus fumos cheios de desgraças que se parecem com cócegas onde fazem todos rirem pensando que aquilo é a real essência da vida e seus olhos em brasas, incandescentes, que se tornam macacos amolecendo o barro moldado no lugar do seu cérebro.



A rotina é estranha, porque na sua repetência de tarefas, deixam todos aqueles que estão aprisionados a ela, sentirem-se seguros mas, a bússola não está apontando pro norte como parece ser, porque escreveram a palavra norte no lugar do sul pra você se desorientar. É ilusão acreditar que o que se parece seguro, é o caminho real ou certo. A rotina tem cheiro e sabor de escravidão.

Quem compreende todas essas coisas, sabe que a rotina é algo comandado à distância, sem deixar os comandados ter o poder de escolha e muito menos perceberem que são comandados.



Pessoas fazendo tempestades em tubos de ensaios menores que um copo pequeno, porque reclamam uma conduta dos outros que elas mesmas não possuem e o mundo em pleno apocalipse silencioso a nível mundial.
As guerras, não possuem divisas, nem culturas diferenciadas, nem idiomas distintos, estão nas mentes, no coletivo, exatamente em seus sentimentos, na maneira como percebem o mundo, como o aceitam ou o negam.

Todos inconscientes e o inconsciente, não tem que saber o que é bom ou ruim e para um Mundo como o nosso, seria a mesma coisa que ele ser habitado por sonâmbulos, andando sobre a terra como zumbis.

vAL qIC
Heterônimo - Emmanuele Catrina


APOCALIPSE ZUMBI




"A maioria das pessoas no Mundo todo, são supersticiosas e acreditam em apocalipse e mal percebem que ele já está em vigor, porque a superstição, traz o medo e a falta de fé em si mesmo e essas três coisas, são a morte do Ser. A superstição é a praga mais invencível de todos os tempos para alvejar os fracos, que possuem seus organismos vivos mas, mortos em essência."

vAL qIC
Heterônimo - Louis Vendramel

LEPROSOS SOCIAIS


Correntes do teu próprio eu.
Te jogam na masmorra das ilusões
Daquilo que queres ver nos outros e que é teu.
Daquilo que queres mudar nos outros como se de tua bíblia fosse o personagem deus.

Tu vês teus inimigos imaginários além os de carnes e ossos.
Até o que te protege, repudia.
Até de tua própria sombra desconfia.
E se acha prepotente querendo manipular as pessoas como se isso fosse alguma garantia.

Você sempre é a vítima.
Você sempre possui boas intenções
Você sempre possui caráter
Você sempre possui dignidade
Mais ninguém possui isso que você
Porque nada disso tu és

Você vê falsidade naquele que mata sua sede.
Você vê verdade naqueles que queriam te ver morrer sedento e seco.
Você vê falsidade em quem te provou ser leal, porque ainda ouves quem nunca foi.
Portanto, você não é de estirpe alguma
Você e teu bando são vira latas

São nas tuas loucuras convenientes que vós digo:
- Continue a ser deus
Aquele carente de seguidores que vivem a rodear-te se passando por fiéis mas, que em troca querem o galardão celestial.
E ainda, vós digo mais:
- Oras... Não sou eu quem perdeu...

vAL qIC
Heterônimo Emmanuele Catrina -