TUTORIAIS PARA USAR PARTICIPAR DESTE BLOG

30 de maio de 2012

PARA AS MULHERES - TEMA: AMOR/ROMPIMENTO





Poucos dão a cara a bater, não é verdade?
Poucos assumem certas coisas em suas vidas e ficam de bicos calados porque dizem que é sensato fingir de conta que tudo sempre correu maravilhosamente bem.
Vejo mulheres sofrerem demasiadamente por coisas que eu já passei e não conseguem compreender tais situações.
Falo de relacionamentos que não vingaram, que já deu tudo o que tinha que dar, aonde um não suporta mais olhar pra cara do outro.
Onde até mesmo, a tolerância, a compaixão e o respeito já escorreram pelo ralo faz tempo, porque no momento em que a relação acabou, muitos casais cometem a besteira de viver de aparências para a família, amigos, colegas e filhos.
Sempre dizem que para poupar a família ou os filhos, empurram com a barriga e se consideram felizes por dar nós em pingo d'água, afogando sua alma num lamaçal solitário, em busca de saciar a expectativa dos que os cercam.
Quando a Família, especialmente os Pais descobrem que o relacionamento dos seus Filhos está por um fio, fazem de tudo para que não ocorra a separação e começam a encher o saco, atribuindo culpa que não existe na tentativa egoísta de manter as aparências TAMBÉEEM e continuar a mostrar a todos que a Família é bem estruturada por não haver separação e/ou divórcio.
Mas, chega uma hora que a bomba explode de vez.
O foco principal deste post é quando isso ocorre com as mulheres.
Mesmo sabendo que o amor acabou, que a paz vai reinar, sentem se tristes e sem chão quando há a separação definitiva e pensam que ainda gostam do parceiro mesmo sabendo que o odiava a pouco. Ficam confusas e não compreendem as contradições de sentimentos CONTRADITÓRIOS. Sabem que não amam mais a pessoa e mesmo assim sentem se solitárias como se o mundo tivesse desabado em suas cabeças e que dali em diante, não existirá mais vida, muito menos felicidade.
Vim aqui pra dizer que isso é ilusão e quem te iludiu foi o teu sentimento de posse que imperceptivelmente tomou conta do seu ser e quando se perde algo, o ser humano INFLA e quer reaver o bem perdido. Isso mesmo! O BEM PERDIDO! Porque é assim que na maioria dos relacionamentos sérios, um vê ao outro:
- Como um objeto de posse, não um amor íntegro, honesto e que abre mão até do ciúmes quando sua pureza é evidente em ambos.
Olha gente, quando o amor chega de verdade, ele é tão forte, mais tão forte, que quando alguém do casal passa não amar mais o outro, o que ama, não se expõe, não briga e quer acredite ou não:
- Aceita a situação.
Amor de verdade abre mão e entende.
Amor de verdade não tem crises de egoísmos, não grita, não tenta se vingar e nem provar nada a ninguém.
Amar de verdade é tão bom, que nem reclama mais a ausência do outro que foi embora e em sua pureza, deixa o tempo se encarregar daquilo que será melhor pra ele, ou seja:
- O amor é tão sábio, tão sereno, tranquilo, que jamais esperaria ser correspondido novamente pela mesma pessoa, ele não nutre esperanças e se for o caso, por si só, vai embora sozinho para dar espaço a um novo e ele faz isso, vai em busca de algo para repor o lugar que ficou a ser preenchido por outra pessoa.
E pensa que isso demora?
- Nãooooooooooo!
Como disse lá em cima, ele é sábio quando verdadeiro.

O amor só é tortura para aqueles que pensam estar amando mas, não estão. O egoísmo cria vários sentimentos que as pessoas acreditam ser amor e o ciúmes é um deles:
- É o sinal mais forte de que não há amor verdadeiro.


.
Postar um comentário